Oficinas de bairro

De acordo com o Plano de Mobilização e Participação Social do Plano Salvador 500, as Oficinas de Bairros foram pensadas para discutir conceitos básicos de cidadania, meio ambiente e desenvolvimento urbano a partir da incorporação de vivências e experiências cotidianas dos participantes no seu próprio ambiente, ampliando o olhar dos cidadãos sobre a cidade. As oficinas abrangem a etapa dos Estudos Básicos, visando construir o diagnóstico e o prognóstico (Salvador é / Salvador será), e a etapa dos Estudos Analíticos visando à construção da visão de futuro (Salvador que queremos).

Na etapa de Estudos Básicos serão trabalhados o diagnóstico da situação atual da cidade, ressaltando seus pontos de estrangulamento e suas potencialidades, e a projeção do estado atual com base em sua evolução histórica (prognóstico). Na etapa dos Estudos Analíticos, trabalham-se cenários alternativos com a implementação do plano para a construção da visão de futuro que orientará a estratégia de desenvolvimento.

A realização das oficinas tem como referência territorial a divisão da cidade em Prefeituras-Bairro, prevendo-se a realização de mais de uma oficina naquelas de grande extensão territorial ou com especificidades internas. Nesse sentido, serão realizados 14 (quatorze) eventos na etapa dos Estudos Básicos e 14 (quatorze) na etapa dos Estudos Analíticos.

O Participa Salvador busca acompanhar a dinâmica destas atividades, no intuito de verificar e fazer um relatório de ações que permita analisar se de fato as oficinas estão oferecendo meios de fazer a população entender o processo do Plano Salvador 500.

2 comentários em “Oficinas de bairro

  • 27 de julho de 2015 a 18:58
    Permalink

    Queridos e Queridas,
    Me deixou extremamente feliz e gratificado ver a participação das pessoas, que realmente se preocupam com a qualidade de vida dos moradores desta cidade, no embate durante a chamada Oficina de Bairros ocorrida neste último Sábado no Hotel Monte Pascoal. Vocês estão todos de parábens por defenderem aquilo que realmente acreditamos.

    Responder
  • 31 de julho de 2015 a 14:16
    Permalink

    Carlos Costa Machado, Morador de Cajazeiras há mais de 17 anos, morando no projeto viver melhor, na gestão do governador Cesar Borges, entendo que 85 por cento das moradias de Cajazeiras encontra-se com pendencias de escritura e IPTU segundo moradores se encontra sob domínio da CONDER, gostaria que o município administre esse projeto.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *